Marcos Suzano

Marcos Suzano

 

Marcos Suzano

Marcos Suzano (Rio de Janeiro) é um percussionista brasileiro.

Na adolescência, escutava rock, até ouvir o naipe de percussão de um bloco carnavalesco e ficar fascinado.

Começou tocando surdo e cuíca e fixou-se no pandeiro depois de assistir a um programa com Jorginho do Pandeiro, do conjunto Época de Ouro.

Cursou Economia, mas durante o curso já freqüentava a casa de Hermeto Pascoal e de Radamés Gnattali. Estudou ritmos africanos num grupo com Paulo Moura, tocou com Zizi Possi, Água de Moringa, Marisa Monte, Zé Kéti, Gilberto Gil, Lenine e outros.

Desenvolveu técnicas para pandeiro que difundiu em cursos e oficinas.

Em 1993 sua parceria com o músico pernambucano Lenine se transformou no disco "Olho de Peixe".

Seu primeiro trabalho solo, "Sambatown", é de 1996 e traz usos inovadors para o pandeiro, intensificando a batida samba-funk e a utilização de sons mais graves.

Em 2000 saiu "Flash", seu segundo disco solo, em que o músico vai mais a fundo no uso da música eletrônica.

Suzano faz também parte do grupo Pife Muderno, liderado por Carlos Malta.

 

A Técnica

A técnica de Marcos Suzano parte do princípio de tocar o pandeiro "ao contrário", isto é, tomando como tempo forte não a batida do polegar, mas a das pontas dos dedos contra a pele do pandeiro (geralmente a batida das pontas dos dedos é dada fora do tempo forte, dado pelo polegar). Segundo o músico, essa técnica facilita a realização de ritmos fora do padrão do pandeiro, como compassos ímpares, por exemplo.

 

Dados artísticos

Acompanhou vários artistas, como Zizi Possi, Água de Moringa, Marisa Monte, Zé Kéti, Gilberto Gil, Ney Matogrosso e Lenine, entre outros.

Desenvolveu técnicas de percussão, apresentadas em cursos e workshops.

Lançou, em 1993, com Lenine, o CD "Olho de peixe", em 1996, o CD "Sambatown" e, em 2000, o CD "Flash".

Em 2005, estreou turnê nacional e internacional do espetáculo "Homenagem a Tom Jobim", ao lado de Armandinho, Paulo Moura e Yamandú Costa.

É um dos integrantes do grupo Aquarela Carioca, com o qual lançou os discos "Aquarela Carioca" (1989), "Contos" (1991), "As aparências enganam" (1993, este uma parceria do grupo com Ney Matogrosso, e ainda "Idioma" (1996).

Em parceria com Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Coração Quiáltera, lançou, em 2010, o CD “Sementeira: Sons da Percussão”, contendo suas composições “Sementeira”, “Ifá”, “Convite” e “Ensaio geral”, todas com Naná Vasconcelos, Caito Marcondes,  e Coração Quiáltera, e “No morro”, além de “Triciclo” e “Ditempus Intempus”, ambas de Coração Quiáltera “Lua Nova” (Naná Vasconcelos e Coração Quiáltera), “Nada mais sério” (Naná Vasconcelos) e “Canto de trabalho” (Caito Marcondes).

 

Obras

Convite (c/ Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Coração Quiáltera)

Ensaio geral (c/ Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Coração Quiáltera)

Ifá (c/ Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Coração Quiáltera)

No morro

Sementeira (c/ Naná Vasconcelos, Caito Marcondes e Coração Quiáltera)

 

Discografia

(2010) Sementeira: Sons da Percussão (Naná Vasconcelos, Marcos Suzano, Caito Marcondes e Coração Quiáltera) Tratore CD

(2000) Flash (Marcos Suzano) • Trama • CD

(1996) Sambatown (Marcos Suzano) • MP,B • CD

(1996) Idioma (Aquarela Carioca) • Velas • CD

(1993) As aparências enganam (Ney Matogrosso e Aquarela Carioca) • PolyGram • CD

(1993) Olho de peixe (Lenine e Marcos Suzano) • Velas • CD

(1991) Contos (Aquarela Carioca) • Visom • CD

(1989) Aquarela Carioca (Aquarela Carioca) • Novas Direções/Visom

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!