Ricardo Siri

Ricardo Siri

 

Ricardo Siri

Ao contrário do que normalmente se espera da música contemporânea brasileira, o percussionista, arranjador e produtor Siri faz música contemporânea, misturando arranjos de instrumentos de cordas e de sopro com inusitadas percussões, vídeo-arte e performance. Em seu trabalho de estréia, “Siri” (independente), de 2004, o músico levou aos palcos sua parafernália musical e encantou o público com seu inusitado instrumento: uma sucata de Fusca 69 com motor, latarias e capota. Uma verdadeira orquestra urbana.

 

Em virtude do sucesso do CD e da beleza visual do espetáculo, o registro do show foi inevitável – Siri gravou o CD/DVD Siri ao vivo “Concerto para Conserto” e realizou turnê do espetáculo nas principais cidades brasileiras, participando de festivais importantes como 13º PERCPAN, Cenas Contemporâneas , Multiplicidade (Oi Futuro – RJ), XVII Bienal de Música Contemporânea (RJ), Fórum Cultural Mundial, O Fenômeno das Novas Orquestras (CCBB – SP) e 6º Festival do Tambor Mineiro.

 

A música de Siri é presença garantida nas principais compilações de música brasileira no exterior (Brazilian Beats 6, Nu Brazil 2 e The Best of Brazilian Beats), e o músico foi um dos selecionados para os projetos Rumos Itaú Cultural 2005/2006 e Programa Petrobrás Cultural 2007/2008.

 

Em seu novo trabalho, “Ultrasom”, Siri não foge à expectativa das experimentações inusitadas.

Durante a gestação de sua filha Clara, Siri embarcou numa viagem inusitada pelos sons produzidos pelo corpo humano – mais preciamente, sons do útero materno.

Gravado em exatos 9 meses, “Ultrasom”, é uma viagem de sons, imagens e texturas gravaddos das sessões da ultrassonografia de sua filha Clara.

…“Ia às sessões de ultrassonografia e ficava encantado com aquela vida que surgia e o som que produzia. Não tive dúvidas: ali estava a minha nova inspiração.”…

 

“Ultrasom”

Prémio na Categoria Especial

Melhor Cd de Música Eletrônica

21º Prêmio da Música Brasileira 2010

ARTES VISUAIS /PERFORMANCES

 

Da nova geração de artistas brasileiros, mas já com muitos anos dedicados à profissão, Siri pretende dar continuidade ao seu legado de experimentação musical, apostando em uma convivência entre todas as formas de criação. Uma simultaneidade de expressões que nos liberta da cristalização de modelos estabelecidos pela indústria.

A diversidade de ideias propostas por Siri nos indica que o processo presente em suas obras libera cada vez mais o artista em direção à individualização de concepções, conceitos e suportes. Siri rompe com espaços limitados e incorpora tecnologias atuais, em uma multiplicidade de expressões que parece não ter mais limite. Sua ousadia em criar um espetáculo multimídia com projeção, instalação, performance e cenário deram a Siri o título de um dos artistas mais criativos de sua geração.

Siri realizou performances importantes como no Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE–SP), VERBO – Galeria Vermelho (SP), XVII Bienal de Música Contemporânea (RJ), “Futebol e Arte”(Galeria LGC), ”Reciclando o Tempo”(Sescs-RJ) e Multiplicidade(RJ).

 

Performances:

“ N’água”

“Concerto para Conserto”

“Obra-Prima”

“Ultrasom”

“Esmerilhando”

“Faixa Musical”

“Vozes do Samba”

“Distorções”

 

A já conhecida foto da capa de seu CD, Siri, feita pela artista visual Deborah Engel, faz parte da coleção de arte contemporânea de Gilberto Chateaubriant, que se encontra no MAM – Museu de Arte Moderna – RJ.

 

“…Siri tira som de tudo, como um Hermeto Pascoal da nova geração…”

(Roberto Menescal em entrevista à Revista Outra Coisa)

“…Um trabalho de música instrumental que se aproxima da musicalidade pitoresca e criativa de nomes como Naná Vasconcelos e Hermeto Pascoal.”

(Revista V)

“… Totally original and ahead of this time. Expect to hear great things from this master of ’concretist urban percussion‘ in the next few years…”

(John Armstrong – Nu Brasil 2)

 

 

CURRÍCULO SIRI

O percussionista, compositor, arranjador e produtor Ricardo Mattos – Siri – trabalhou com artistas de reconhecimento nacional e internacional como Sivuca, MPB-4, Lenine, Ana Carolina, Bossa Cuca Nova, Roberto Menescal e Jocy de Oliveira, entre outros.

 

Com o grupo Big Allanbik realizou a primeira turnê de uma banda de blues brasileira pelos Estados Unidos (Blue Note – NY), em Chicago e Miami. Ainda em Nova York gravou o CD “Batuque y Blues”, considerado pela crítica da época como o melhor disco de blues estrangeiro.

 

Em 98 foi convidado pelo cantor Abel Duëre para participar de concertos em Portugal, incluindo a Expo – Lisboa. Com o grupo Equale representou o Brasil no maior festival de canto coral da Europa (Catalunha). Foram 15 apresentações pela região espanhola. Realizou diversas turnês com o grupo Bossa Cuca Nova e Roberto Menescal nos principais festivais da Europa (Portugal, Espanha, França, Suíça, Alemanha, Dinamarca, Inglaterra, País de Gales, Itália, Bélgica e Holanda), no Japão (Festival Get’s Bossa Nova – Tóquio) e nos Estados Unidos. Apresentou-se na cerimônia de premiação do 3º Grammy Latino em LA – indicação de melhor álbum pop contemporâneo com o grupo Bossa Cuca Nova.

 

Em 1999/2000 residiu em Los Angeles, onde, além de trabalhar, ampliou seus estudos. Graduou-se como baterista pela Los Angeles Music Academy, onde obteve uma bolsa de estudos e ministrou classes de batucada. Nesse mesmo período, reciclou seus estudos de percussão indiana e africana na Sangeet World Music School (Pasadena – CA).

 

Gravou trilhas sonoras importantes como a do filme Beethoven III (Universal Estudios – CA), Le passage (França), Avassaladoras (Fox–Brasil) e Totem (Fashion Rio) .

 

Siri possui extensa discografia, tendo gravado mais de 50 CDs de diversos estilos musicais. Entre outros, destacam-se Bossa Cuca Nova (indicação ao Grammy), Ana Carolina, Lenine, Israel Varela (Tijuana – México), Marcelinho da Lua, Big Allanbik (NY), LAMA (Los Angeles – CA), Daniela Mercury e Tributo aos Novos Baianos.

 

Em 2004 partiu firme para sua carreira solo.Apresentou diversos espetáculos que viraram referência em experimentação sonora.Produziu CDs, DVDs,espetáculos musicais, performances e trilhas sonoras entre elas:

“Siri” (2004)

“Concerto para Conserto” (2007)

“Ultrasom”(2009) – Premio Melhor CD de Música Eletrônica

 

Performances:

“ N’água”

“Concerto para Conserto”

“Obra-Prima”

“Ultrasom”

“Esmerilhando”

“Faixa Musical”

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!